O relatório The Future of Jobs 2020 concluiu que a COVID-19 fez com que o mercado de trabalho mudasse mais rápido do que o esperado. A pesquisa divulgada pelo Fórum Econômico Mundial indica que o que antes era considerado o “futuro do trabalho” já chegou.

Em 2025, a automação, aliada a uma nova divisão do trabalho entre humanos e máquinas impactarão cerca de 85 milhões de empregos em todo o mundo em empresas de médio e grande porte de, aproximadamente, 15 setores. As funções em áreas como entrada de dados, contabilidade e suporte administrativo estão diminuindo na demanda à medida que a automação e a digitalização no local de trabalho aumentam.

Para a diretora de Managing do Fórum Econômico Mundial, Saadia Zahidi, a COVID-19 acelerou a chegada do futuro do trabalho. “A aceleração da automação e as consequências da recessão da COVID-19 aprofundaram as desigualdades existentes nos mercados de trabalho e reverteram os ganhos de emprego obtidos desde a crise financeira global em 2007-2008. É um cenário de dupla interrupção que apresenta outro obstáculo para os trabalhadores neste momento difícil. A janela de oportunidade para o gerenciamento proativo dessa mudança está se fechando rapidamente. Empresas, governos e trabalhadores devem planejar trabalhar juntos urgentemente para implementar uma nova visão para a força de trabalho global”, afirmou em entrevista para o portal WEForum.

Cerca de 43% das empresas pesquisadas indicam que estão definidas para reduzir sua força de trabalho devido à integração de tecnologia, 41% planejam expandir o uso de empreiteiros para trabalho especializado em tarefas e 34% planejam expandir sua força de trabalho devido à integração de tecnologia.

Habilidades para o futuro

De acordo com o The Future of Jobs Survey, habilidades essenciais, como pensamento crítico, análise e solução de problemas estão consistentemente no topo das prioridades de requalificação e qualificação para educadores e empresas. Recentemente emergindo em 2020 estão as habilidades de autogestão, como resiliência, tolerância ao estresse e flexibilidade.

Segundo dados do Coursera, os indivíduos podem começar a ganhar as 10 principais habilidades para cada profissão emergente em pessoas e cultura, redação de conteúdo, vendas e marketing em um a dois meses. Aqueles que desejam expandir suas habilidades em desenvolvimento de produtos e dados e inteligência artificial podem fazê-lo em dois a três meses, e aqueles que mudam para computação em nuvem e engenharia podem avançar no novo conjunto de habilidades por meio de um programa de aprendizado de quatro a cinco meses.

Neste cenário, houve um aumento de quatro vezes no número de pessoas que buscam oportunidades de aprendizado online por iniciativa própria, um aumento de cinco vezes em empregadores que oferecem oportunidades de aprendizado online para seus trabalhadores e um aumento de nove vezes no número de matrículas de pessoas que acessam o aprendizado online por meio de programas governamentais.

O trabalho remoto veio para ficar, mas requer adaptação

De acordo com o relatório, 78% dos líderes empresariais esperam algum impacto negativo na produtividade do trabalhador com o home office. Isso sugere que algumas indústrias e empresas estão lutando para se adaptar com rapidez suficiente à mudança para o trabalho remoto causada pela pandemia COVID-19.

Para atender às preocupações sobre produtividade e bem-estar, cerca de um terço de todos os empregadores disseram que tomarão medidas para criar um senso de comunidade, conexão e pertencimento entre seus funcionários.

Futuro na engenharia

Na preparação para as profissões do futuro, o desenvolvimento de uma base sólida de habilidades em engenharia é o caminho para a liderança.

A medida que nos aprofundamos na era digital, a automação continua a desafiar o mundo e moldar o futuro do trabalho. Neste processo, é provável que muitos empregos deixem de existir nas próximas décadas. Por outro lado, há uma série de empregos que estão mostrando tendências promissoras em meio a avanços tecnológicos emergentes, e uma dessas carreiras é engenharia.

A engenharia treina profissionais que aplicam o conhecimento científico para resolver problemas específicos da vida real. Os engenheiros desenvolvem habilidades de pensamento crítico, resolução de problemas e capacidades analíticas, utilizando a curiosidade e a imaginação para permanecer na vanguarda da inovação.

Confira também: Transformação Digital e a próxima geração de engenheiros