12 de maio de 2021

Nos últimos anos as novas tecnologias vêm ganhando muito mais proporção e relevância no mercado. Independente da área, é fundamental estar disposto a oferecer, experimentar e adotar novidades. Em tempos de imediatismo é cada vez mais clara a necessidade adequar- se as inovações. Essa movimentação mercadológica é natural, visto que, quem conseguir integrar as novas tendências mais rapidamente e com maior precisão se destacará em meio à concorrência.

Assim como a Indústria 4.0 foi um marco para diversos setores, o ramo da construção civil também colheu os frutos da transformação digital para otimizar essa vertente da engenharia. Identificou-se a necessidade de adoção de novas soluções, e com isso a área caminha a passos largos para o futuro. Vista a notória evolução resultada pela integração gradual dessa nova realidade, já é possível notar que investir em tecnologia pode ser o melhor caminho inicial para a construção deste futuro ainda mais digital.

Inovações que estão transformando a indústria civil

A ponte rumo ao futuro vem sendo construída gradativamente e se tornando realidade na engenharia civil. Dado esse novo cenário, alguns métodos estão sendo tratados como ótimas alternativas para a evolução. Os dados e o gerenciamento das informações captadas são primordiais para este novo contexto. O serviço de Big Data é tendência nos negócios, pois é ideal para observar e examinar em qual obra precisa aumentar a demanda, quantidade de equipamentos e materiais e destinar maiores esforços para o momento.

Outra ferramenta no campo da construção é o BIM (Building Information Modelling), tecnologia primordial no que diz respeito ao desenvolvimento e progresso da obra. A ferramenta possibilita a interação completa e automática das informações em todos seus estágios, viabilizando a colaboração de profissionais de outros setores, como engenheiros, empreiteiros e arquitetos trabalhando no mesmo modelo. A tecnologia emula uma cópia legítima do projeto original, com todas as modificações salvas no sistema. Na plataforma ficam disponibilizados não só dados referentes a custos, material e cronograma como também informações geométricas da operação. Ou seja, é ideal para uma leitura mais profunda, precisa e fiel dos processos da construção.

A mudança brusca de materiais também é algo que já vem sendo estudado na Alemanha. Uma das possibilidades é a substituição de construções com o tradicional concreto armado por composto de carbono. Construções feitas com concreto armado tendem a se tornar obsoletas em um futuro não tão distante, pois o material deteriora com o uso constante, causando rachaduras que são um problema não só estético como estrutural. O concreto de carbono além de econômico é durável, necessita de menos intervenções de manutenção, e torna a construção mais sustentável.

Impactos da indústria 4.0 na engenharia civil

Com a chegada dessas tantas novidades na indústria, é evidente que o futuro reserva mudanças em sua estrutura geral. Dentre elas, a criação de novos ofícios e empregos no setor. Afinal, com a chegada do maquinário, é preciso ter melhor capacitação em operar e compreender os dados fornecidos pelas novas tecnologias.

Os impactos causados pelas mudanças radicais deste momento são vários. E no fim, todos visam otimizar tempo, custo e operar de forma ainda mais eficiente. Na era da Indústria 4.0, é possível obter produtos novos, personalizados, inteligentes e conectados.

A internet das coisas (IoT) também se faz presente no panorama da construção civil. E como exemplo, cabe citar a reconstrução da catedral de Notre Dame, que vem sendo resgatada com equipamentos de última geração, como drones para o monitoramento e impressões 3D. São variados os tipos de inteligências artificiais baseadas em dados coletados com a capacidade de colaborarem com o andamento das obras.

Apresentar uma conexão integral e onipresente do maquinário resulta em um pilar importante desta nova concepção da indústria: a gestão otimizada. Com o aparato tecnológico agregado a realidade do mercado, há um auxílio muito maior quanto ao gerenciamento das operações. Informações que antes eram mais difíceis de serem coletadas e interpretadas, passaram a ser lidas com praticidade muito maior, o que colabora diretamente no controle do trabalho.

Segurança e qualidade são atributos determinantes para a construção civil, e podem ser potencializados pelas tecnologias postas no momento. A melhora no quesito de gerenciamento das etapas dos processos desencadeia também na maior qualificação das tarefas. Uma vez que as funções estão distribuídas de forma mais adequada, passa a ser possível assegurar a disposição de materiais e profissionais para diferentes obras.

A inserção tecnológica proposta pela indústria 4.0 na engenharia civil apresenta um novo horizonte para o setor. Com maior produtividade, competitividade e inovação, paralelas a redução de desperdício financeiro, de tempo e materiais, que tornam as atividades mais econômicas, sustentáveis, ágeis e precisas.