Os debates sobre as questões ambientais estão se intensificando cada vez mais. O tema é emergente e necessita de ações imediatas para reverter os danos causados pelo homem. Sob esse contexto destaca-se o conceito de Economia Circular.

Ao contrário do modelo linear – em que um produto é desenvolvido, utilizado e, após a sua vida útil, descartado -, a Economia Circular é baseada na reutilização de produtos, componentes, matérias-primas e outros elementos para o desenvolvimento de novos produtos, evitando o descarte prejudicial no meio-ambiente. É importante ressaltar que a Economia Circular vai muito além da reciclagem e cria um novo modelo sustentável, que se aplica a todos os setores da indústria.

Ao se tratar de um assunto de extrema importância, a VDI reconhece o seu papel como difusora de boas práticas na indústria e, por meio do trabalho em conjunto com o governo, a iniciativa privada, a academia e outras instituições, elabora diretrizes que orientam e compatibilizam o entendimento do assunto para criar arranjos sinergéticos entre empresas.

Com o objetivo de disseminar o conhecimento sobre o tema, reunimos abaixo todas as diretrizes VDI – publicadas ou que estão em processo de elaboração – que tratam sobre Economia Circular. Confira.

 

Representação holística do ciclo de vida completo do produto – VDI 2000

A diretriz descreve todas as fases de um ciclo de vida do produto – ou seja, pelas quais ele passa da primeira ideia até o descarte – e os componentes que influenciam significativamente esse processo de desenvolvimento. Esse documento é voltado aos colaboradores que atuam com a criação de diretrizes específicas, de processo ou método, e precisam conhecer o ciclo de vida completo do produto.

A publicação dessa diretriz está prevista para o mês de junho de 2021. Saiba mais clicando aqui.

 

Reciclagem de equipamentos técnicos para construção – VDI 2074

Essa diretriz adota uma abordagem integrada, levando em consideração o conceito de valor agregado. Ela fornece informações sobre a criação de circuitos para as fases individuais do ciclo de vida de edifícios e sistemas, mostrando possíveis contribuições para todos os envolvidos no planejamento, na construção, no uso e na modernização ou na desmontagem, levando em conta a abordagem da reciclagem. Ao evitar os custos de tratamento e aterro em empresas de descarte regionais, os benefícios também são financeiros.

Saiba mais sobre a diretriz clicando aqui.

 

Resíduos minerais de construção e demolição – VDI 2095 – parte 1

A diretriz fornece instruções para reduzir as emissões de usinas, para quebrar e classificar os resíduos de construção mineral, e para demolição em usinas de reciclagem móveis ou estacionárias. O lixo gerado, é preparado com o objetivo de produzir materiais reciclados com propriedades definidas para serem usados na construção de estradas, terrenos e aterros, na jardinagem e no paisagismo, ou como aditivo para reciclagem na construção civil. O processo geral inclui a entrega e o armazenamento do material de partida, o processamento real (incluindo trituração e triagem), e transporte e armazenamento dos grânulos reciclados gerados. A diretriz é dirigida aos especialistas das áreas de usinas de reciclagem de entulho, fábricas de cimento, empresas de construção, institutos de medição, autoridades, escritórios especializados e escritórios de arquitetos.

Saiba mais sobre a diretriz clicando aqui.

 

Resíduos minerais de construção e demolição – VDI 2095 – parte 2

A diretriz fornece instruções sobre redução de emissões para usinas, tratamento de resíduos mistos de construção, e demolição de acordo com a Portaria Comercial de Resíduos, na qual são pré-tratados juntamente com resíduos comerciais e volumosos. O processo geral do tratamento inclui a entrega e o armazenamento do material de partida, o processamento, incluindo redução de tamanho, classificação, e transporte dos materiais gerados. A diretriz é dirigida a representantes de empresas de construção e demolição, autoridades de supervisão, órgãos de inspeção, associações profissionais, arquitetos e escritórios de planejamento.

Saiba mais sobre a diretriz clicando aqui.

 

Misturas de resíduos da reciclagem doméstica e de resíduos comerciais mistos – VDI 2095 – parte 3

A diretriz fornece instruções sobre a redução de emissões das plantas para o tratamento de misturas de resíduos da reciclagem doméstica – incluindo embalagens leves e não embalagens do mesmo material, caixas de vidro, papel e papelão – e resíduos comerciais mistos. A diretriz aplica-se às instalações que realizam triagem, armazenamento intermediário e manuseio dos resíduos acima mencionados. O processo geral de tratamento inclui a entrega e o armazenamento do material de partida, o processamento e a redução de tamanho, classificação, e transporte.

Saiba mais sobre a diretriz clicando aqui.

 

Redução de emissão em usinas de reciclagem de refrigeradores – VDI 2292

A diretriz visa declarar o estado da arte das instalações de manuseio, armazenamento temporário e tratamento para hidrocarbonetos halogenados. Também deve ser aplicada ao descarte de resíduos (componentes e dispositivos) que contêm material de isolamento com halogênio. A diretriz descreve, em particular, medidas e instalações para reduzir as emissões que podem surgir durante a reciclagem desses dispositivos e componentes.

Como essas substâncias têm um alto potencial de destruição da camada de ozônio e são amplamente responsáveis ​​pelo aquecimento global, deve-se tomar cuidado ao descartar esses dispositivos, garantindo que suas emissões na atmosfera sejam evitadas.

A publicação dessa diretriz está prevista para julho deste ano (2020). Saiba mais clicando aqui.

 

Reciclagem de dispositivos elétricos e eletrônicos – VDI 2343 Folha 6 e Folha 7

A folha 6 da série de diretrizes esclarece quais rotas de reciclagem as frações de material obtidas dos resíduos de equipamentos elétricos e eletrônicos – de uma estação de tratamento – podem alcançar.

Na folha 7 mostra-se o potencial econômico da reutilização de produtos. Além disso, ilustra, por meio de uma abordagem econômica, o uso de recursos naturais do estoque poupado de matérias-primas para a produção. Com o uso repetido de produtos, recursos adicionais podem ser salvos.

Para saber mais sobre as diretrizes, acesse os links: VDI 2343 folha 6 e VDI 2343 folha 7.

 

Construção Lean – VDI 2553

A diretriz descreve os princípios básicos para a construção de projetos dentro do orçamento planejado, pouco esforço e a qualidade desejada. A visão holística do planejamento e da execução de projetos de construção permite a melhoria das estruturas e evita o consumo desnecessário de recursos.

Saiba mais sobre a diretriz clicando aqui.

 

Investigações de fluxo de material – VDI 2689

A diretriz fornece ferramentas básicas para investigações de fluxo de material e análises de processo para aplicação prática ao usuário. As listas de verificação ajudam nos procedimentos orientados a objetivos, bem como nos pontos de exame importantes, para que o planejamento seja realizado de forma abrangente. Tendências recentes, como Lean Manufacturing, são tratadas em profundidade por métodos e abordagens comprovadas.

Saiba mais sobre a diretriz clicando aqui.

 

Sistemas de produção holística – VDI 2872

O documento fornece ao usuário uma diretriz orientada para a prática, que mostra como uma chamada “empresa enxuta” pode ser introduzida. Destina-se a todas as empresas de manufatura que já lidam com sistemas de produção holísticos e desejam gerar vantagens competitivas adicionais. Uma empresa enxuta deve ser vista como uma unidade coordenada, voltada para atingir, de maneira eficiente, as metas corporativas com o envolvimento de vários grupos de interesse e o uso de princípios enxutos.

Saiba mais sobre a diretriz clicando aqui.

 

Amianto em resíduos de demolição – VDI 3876

A diretriz especifica o procedimento para a preparação de amostras de resíduos de construção, demolição, e materiais reciclados obtidos quando examinados qualitativamente quanto ao conteúdo de amianto. Além disso, estabelece um método quantitativo para determinar o conteúdo de amianto em amostras. A diretriz é aplicável para amostras que foram tomadas de acordo com DIN 19698 ou LAGA PN 98.

Saiba mais sobre a diretriz clicando aqui.

 

Proteção ambiental integrada à produção – VDI 4075

A diretriz é dirigida a profissionais de empresas predominantemente pequenas e médias do setor de serviços e manufatura que desejam aproveitar o conhecimento e a experiência sobre proteção ambiental – integrada à produção – na modernização ou no planejamento de processos e sistemas de produção. O conteúdo da diretriz é projetado de tal maneira que uma referência aos sistemas de gerenciamento operacional pode ser feita facilmente. Além disso, a aplicação desta diretriz também pode contribuir para um processo de melhoria contínua nas empresas.

Saiba mais sobre a diretriz clicando aqui.

 

Eficiência de recursos – VDI 4800

A diretriz fornece uma metodologia para avaliar a eficiência de recursos de produtos, serviços, sistemas e organizações de serviços de produtos. A eficiência dos recursos é definida como a proporção de benefícios quantificáveis ​​e o gasto associado de recursos naturais. O gasto com recursos pode ser quantificado e avaliado a partir de vários indicadores (matéria-prima acumulada e consumo de energia, avaliação de impactos ambientais e serviços ecossistêmicos, incluindo a função sumidouro da natureza). O resultado depende muito de decisões e regras metodológicas (por exemplo, escolha dos limites do sistema e regras de alocação). A diretriz fornece assistência e recomendações. Também mostra que o uso de recursos pode ser otimizado em todas as fases do ciclo de vida do produto (extração, produção e fabricação de matérias-primas, fase de uso e fim da vida útil) e no sistema de produção. Além disso, descreve estratégias e medidas para aumentar a eficiência dos recursos e, assim, fornece às empresas e prestadores de serviços suporte e sugestões para identificar possíveis melhorias.

Saiba mais sobre a diretriz clicando aqui.

 

Demolição de sistemas estruturais e técnicos – VDI 6210

A diretriz determina os procedimentos e as bases de avaliação para o planejamento de todas as partes envolvidas na demolição de estruturas e sistemas técnicos. Aplica-se ao trabalho de demolição estruturas fixas e portáteis, bem como sistemas técnicos, e descreve o planejamento, a execução e o acompanhamento do trabalho, abordando sobre fornecimento, armazenamento (temporário), tratamento e manuseio dos resíduos.

A previsão de publicação dessa diretriz é para o mês de outubro do próximo ano (2021). Saiba mais clicando aqui.

 

Biônica – VDI 6220

Refere-se às abordagens de pesquisa e ao desenvolvimento de aplicação técnica. Na busca de soluções de problemas, invenções e inovações, o conhecimento da análise de sistemas vivos é usado e transferido para sistemas técnicos. A ideia da transferência da biologia para a tecnologia é o elemento central da biônica. Na diretriz VDI 6220, a biônica é classificada e definida, descrevendo o processo de trabalho realizado desde a geração da ideia até o produto biônico. São apresentados limites e potenciais que afetam a biônica como sistema de inovação ou como estratégia de sustentabilidade. Além disso, a diretriz fornece uma visão geral das várias áreas de aplicação e distingue o trabalho biônico das formas clássicas de pesquisa e desenvolvimento. Se um sistema técnico passou por um processo de desenvolvimento de acordo com esta diretriz, ele pode ser chamado de “biônico”.

Saiba mais sobre a diretriz clicando aqui.

 

Para saber como adquirir as diretrizes VDI, entre em contato conosco pelo e-mail vdi@vdibrasil.com.br.

Compartilhe isso:
Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin