3 de julho de 2018

Na sexta-feira (15/06), a VDI-Brasil anunciou seu novo presidente durante uma mesa redonda com o título “iEngineer – o futuro da engenharia no Brasil” que aconteceu na CNI, em São Paulo. O cargo que era ocupado até então por Wilson Bricio, Presidente da ZF América do Sul e agora presidente de honra da associação, passa para Maurício Muramoto, que anteriormente atuava como Vice-Presidente da VDI-Brasil.

A renovação da presidência foi marcada por importantes debates, desde a escassez de profissionais para lidar com a transformação digital, as qualificações do engenheiro do futuro na Alemanha, até as novas diretrizes do ensino da Engenharia no Brasil.

Durante a gestão de Wilson Bricio a VDI-Brasil iniciou uma nova fase de expansão com a renovação de sua estrutura e com a aproximação com a VDI na Alemanha, explorando os potenciais das macrotendências globais em engenharia, tecnologia e inovação. Há três anos à frente da instituição, na abertura do evento, Bricio destacou a criação dos quatro clusters temáticos que ampliam as áreas de atuação da Associação.

“Com as quatro novas frentes de trabalho que atuamos por meio dos clusters: iEngineer, Digitalização na Indústria, Produtividade Industrial, Energias Renováveis e Diversidade e Inclusão passamos a contribuir ainda mais para o progresso tecnológico, com profissionais capacitados e ambientes que promovem e absorvem todos os benefícios que a diversidade tem a oferecer”, comentou Bricio.

O Presidente de Honra frisou que ações como estas são importantes para incentivar uma engenharia mais inovadora, no Brasil, na Alemanha e no mundo a fora. Para Bricio, o engenheiro do futuro tem como grande dever, neste momento, buscar soluções para os desafios da transformação digital, pensando num mundo cada vez mais plural e diverso.

“Precisamos achar o nosso espaço nas cadeias globais de valor, destacar o que o país tem de melhor. O momento é oportuno, visto que as relações culturais, tecnológicas e comerciais entre os países também estão sujeitas a mudanças profundas. Precisamos de engenheiros capazes de atuar como protagonistas e multiplicadores neste processo, e parcerias como a do Brasil com a Alemanha ajudam a construir um ensino de engenharia que forma esses profissionais de excelência global”, disse Bricio.

Maurício Muramoto é formado em Engenharia Eletrônica pelo Instituto Mauá de Tecnologia, tem 25 anos de experiência e passagens em empresas de origem alemãs, entre outros como presidente da Continental. Desde 2015 atuava como Vice-Presidente da VDI-Brasil e em 2017 assumiu o cargo de chairman do cluster iEngineer que debate a construção do engenheiro do amanhã com representantes da indústria e academia.

Em seu discurso como atual Presidente da VDI-Brasil, Muramoto agradeceu ao seu antecessor e comunicou que a diretoria da associação aceitou por unanimidade a sua proposta de nomeá-lo Presidente de Honra.

“Desta forma gostaríamos de honrar sua valiosa contribuição para a trajetória da associação e manter um grande entusiasta da engenharia Brasil-Alemanha como conselheiro da nossa diretoria”, explicou.

Ainda ressaltou o importante papel do engenheiro para a transformação digital em todas as esferas da sociedade e comentou sobre as mudanças na formação desses profissionais.

“Já não é mais novidade para ninguém que a transformação digital veio para mudar profundamente as profissões e a natureza do trabalho no mundo todo. Nós, engenheiros, somos protagonistas neste processo. Aplicamos conhecimento científico para idealizar, desenvolver, aperfeiçoar e aplicar tecnologias em prol dos seus usuários. Neste cenário disruptivo, o benefício do usuário ganha uma nova dimensão. Porém, o princípio continua: o engenheiro é responsável pelas consequências éticas das suas criações”, comentou Muramoto.

O novo presidente ainda frisou a importância da cooperação entre empresas e universidades para aperfeiçoar a formação dos engenheiros, e dar a eles um perfil que abranja muito mais do que apenas conhecimento técnico. A VDI-Brasil atua como a ponte desse processo.

“O nosso objetivo é oferecer uma plataforma de diálogo entre indústria e academia, pois acreditamos que o futuro da engenharia no Brasil terá que ser construído a quatro mãos.”, finalizou o atual Presidente da associação.

Mesa Redonda

O evento ainda contou com apresentações e discussões que focam justamente na formação dos engenheiros brasileiros e as competências necessárias para lidar com a transformação digital no mundo.

Johannes Klingberg, Diretor Executivo da VDI-Brasil, foi o primeiro com a palestra ”Status-quo da discussão sobre o engenheiro do futuro na Alemanha”. Em seguida o Prof. Mário Salerno, Coordenador do Observatório da Inovação e Competitividade da USP falou sobre a “Escassez e formação de engenheiros na era da transformação digital no Brasil” e o ciclo de palestras foi fechado com a apresentação do Prof. Vanderli Oliveira, Presidente da Associação Brasileira de Educação em Engenharia sobre “As novas diretrizes do ensino de engenharia no Brasil”.

A mesa de debates recebeu todos os palestrantes, e o Prof. Fábio do prado, Reitor do Centro Universitário FEI.