Um negócio verdadeiramente digitalizado adota padrões de trabalho ágeis e aumenta o alcance enquanto maximiza o retorno entre ativos e operações. Para atingir esse nível de agilidade, é necessária uma análise nos processos atuais em toda a cadeia de valor.

Questões importantes, neste sentido, devem refletir sobre como aproveitar ao máximo os benefícios de tecnologias como Internet das Coisas, Inteligência Artificial, Big Data, entre outras. Porém, mais importante do que a implementação de ferramentas tecnológicas são as questões relacionadas ao modo em que elas devem ser utilizadas para maiores ganhos.

E as perguntas não param por aí. As indústrias estão enfrentando uma evolução da força de trabalho. Embora a nova geração de profissionais possa ser menos experiente do que os atuais seniores, esses nativos digitais estão assumindo cargos de liderança na indústria. Equipes experientes buscam repassar seus conhecimentos e expertise antes de deixarem o mercado de trabalho – o que significa que a liderança busca respostas sobre como sistematizar o conhecimento que sai de seus negócios e, ao mesmo tempo, apresenta novas formas de colaboração.

Buscar respostas para todas essas perguntas é desafiador, mas importante, não apenas porque reescreve antigos modelos operacionais industriais, mas também porque faz com que as organizações repensem suas abordagens quanto à lucratividade. Isso, por sua vez, impacta o ROI – Return of Investments.

Não há uma resposta definitiva para todas as questões citadas acima. Porém, há alguns princípios que podem ser utilizados como base para elaboração de um planejamento estratégico rumo à digitalização. Esses princípios são reunidos e descritos em documentos que auxiliam os tomadores de decisão em suas escolhas. Essas diretrizes possuem grande relevância em nível internacional na disseminação e educação sobre Indústria 4.0.

Com os impactos da transformação digital em redução de custo de energia, diminuição de desperdícios, aumentos de eficiência na produção e outros benefícios, estima-se que a indústria gerou cerca de US$ 400 bilhões em valor adicional nos últimos 20 anos.

Com um planejamento estratégico baseado nas diretrizes corretas, os benefícios são consideráveis. Porém, o êxito depende de uma execução consistente, os resultados não acontecem do dia para a noite, trata-se de uma jornada que deve ser realizada minuciosamente, em que os ganhos são notados a longo prazo.

Ao contrário do que muitos pensam, a transformação digital não requer altos investimentos em tecnologia e equipamentos. Como já citado anteriormente, mais importante do que a tecnologia é a maneira como a utilizamos. Muitas das principais tecnologias discutidas atualmente já estão presentes em PME’s.

Por se tratar de um tema amplo, com muitas vertentes e subdivisões, há uma grande incerteza por parte das empresas sobre o primeiro passo rumo à transformação digital. A resposta mais adequada para essa pergunta é a realização de uma análise interna detectando os principais desafios, pontos fortes, ameaças, oportunidades e outros elementos. Ao analisar a situação atual da empresa os próximos passos e objetivos ficam mais claros.

Existem diversas diretrizes/roadmap que orientam as melhores práticas para finalidades específicas. Se você tem interesse em saber mais sobre esses documentos, confira o nosso artigo “Conheça os principais projetos de diretrizes VDI para Indústria 4.0”,  disponível em nossa biblioteca de artigos exclusivos.