Não é raro de se ver as pessoas atribuindo o conceito de ‘Indústria 4.0’ às novas ferramentas tecnológicas, que surgem frequentemente na indústria para otimizar os resultados e contribuir com a produção de produtos e serviços cada vez mais evoluídos. No entanto, por mais que as tecnologias tenham um papel importante nesse contexto, elas constituem apenas uma parte da Indústria 4.0 como um todo, que abrange desde a gestão até o chão de fábrica. Com isso, é evidente a necessidade de se contar com um planejamento estratégico para extrair o melhor dessa nova revolução industrial.

Na Alemanha, berço da Indústria 4.0, a difusão das práticas desse novo modelo aconteceu graças a um trabalho sinérgico entre entidades governamentais, empresas privadas, membros da academia e outros atores relacionados à indústria, que juntos desenvolveram diretrizes para orientar uma transição sem impactos negativos para as empresas.

No Brasil, o Ministério de Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações – MCTIC, junto com o Ministério da Economia – ME, lançou a Câmara Brasileira da Indústria 4.0. O objetivo é reunir entidades, formando Grupos de Trabalhos (GT’s), para discutir as diretrizes e as ações para estimular as práticas de Indústria 4.0 no país. O modelo da câmara foi baseado no padrão de governança alemão, que também envolve dois ministérios trabalhando em conjunto.

A primeira tarefa atribuída aos GT’s foi a elaboração de um Plano de Ação para suas respectivas áreas, sendo elas: Desenvolvimento Tecnológico e Inovação, Capital Humano, Cadeias Produtivas e Desenvolvimento de Fornecedores, e Regulação, Normalização Técnica e Infraestrutura.

O plano de ação tem o objetivo de ser um instrumento indutor do uso de conceitos e práticas relacionados à Indústria 4.0, visando ao aumento da competitividade e produtividade das empresas brasileiras, contribuindo para inserção do Brasil nas cadeias globais de valores e, consequentemente, melhorando sua posição em índices globais de competitividade.

Como uma Associação ativa nas discussões sobre a Indústria 4.0 no Brasil, a VDI-Brasil é uma das entidades que integram o GT de Regulação, Normalização Técnica e Infraestrutura, participando diretamente dos trabalhos de criação e aperfeiçoamento de instrumentos de normalização e regulação, tal como o desenvolvimento de infraestruturas que visam a melhoria do ambiente para o progresso da Indústria 4.0 no país.

As ações para esse grupo de trabalho incluem: ‘Promover o estabelecimento e difusão de Regulamentos e Normas Técnicas relacionados à Indústria 4.0’, ‘Estimular a oferta de infraestruturas e ambientes tecnológicos apropriados para suporte da Indústria 4.0’ e ‘Promover o uso de instrumentos financeiros que habilitem pequenos provedores a obterem financiamento para construção de redes de acesso.

As ações dos outros GT’s, assim como as instituições que os integram, podem ser conferidas no Plano de Ação da Câmara Brasileira da Indústria 4.0 do Brasil. A previsão é de que o Plano seja implementado entre 2019 e 2022, devendo ser avaliado e revisado periodicamente conforme seus resultados.

A criação de uma plataforma que reúne as iniciativas de Indústria 4.0 no Brasil, como a Câmara Brasileira da Indústria 4.0′, é um passo importante em direção a um cenário mais tecnológico e inovador no país.

Os benefícios são evidentes, por isso, a VDI-Brasil está sempre envolvida nos debates e ações que englobam o tema. Conheça nossos clusters e participe de reuniões e discussões sobre diversos assuntos ligados à engenharia e Indústria 4.0. Acesse http://www.vdibrasil.com/vdi-cluster/.

Compartilhe isso:
Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin