Os sistemas de autoaprendizagem estão se tornando cada vez mais essenciais para a digitalização nas empresas e para a sociedade. Eles são baseados em tecnologias e métodos de Inteligência Artificial, que, atualmente, estão se desenvolvendo em um ritmo acelerado em termos de desempenho. Os sistemas de autoaprendizagem são máquinas, robôs e sistemas de software que aprendem com os dados e os utilizam para realizar tarefas autônomas que foram descritas de forma abstrata – tudo sem programação específica para cada etapa.

Os sistemas de aprendizagem devem melhorar a qualidade de vida, promover bons empregos, garantir o crescimento e a prosperidade e promover a sustentabilidade da economia, do sistema de transporte e do fornecimento de energia, por exemplo.

A Alemanha é um dos países pioneiros no campo de sistemas de aprendizagem e inteligência artificial, neste sentido, o Ministério Federal da Educação e Pesquisa alemão lançou a plataforma Lernende Systeme. Trata-se de uma plataforma para inteligência artificial criada com o objetivo de ajudar a desenvolver esse campo para o benefício dos indivíduos e da sociedade como um todo.

A plataforma é um fórum de diálogo e cooperação que reúne a experiência existente neste campo para ajudar a posicionar o país como líder global em tecnologia de sistemas de aprendizagem. Especialistas da ciência, indústria e sociedade civil trabalham juntos para promover a compreensão de como os sistemas de aprendizagem funcionam e as áreas em que podem ser usados. Além de destacar seus benefícios para os indivíduos, a sociedade e a economia, eles também identificam os desafios relevantes e as opções de política. A plataforma promove o diálogo entre ciência, indústria, governo e público sobre as questões tecnológicas, legais, éticas, sociais e de segurança associadas ao uso de sistemas de aprendizagem.

O trabalho da Lernende Systeme é coordenado por um escritório de projetos da acatech (Academia Alemã de Ciências da Engenharia). Um comitê de direção presidido pela Ministra Federal alemã, Anja Karliczek, e pelo presidente da acatech, Karl-Heinz Streibich, define a direção estratégica da plataforma e determina as questões que serão abordadas. O núcleo da plataforma é formado por sete grupos de trabalho interdisciplinares e intersetoriais, nos quais cerca de 200 especialistas da ciência, indústria e sociedade civil trocam ideias e esboçam documentos de discussão, cenários de aplicação, diretrizes e recomendações. Quatro dos grupos de trabalho focam em temas transversais tecnológicos, econômicos e sociais, que afetam todas as aplicações de sistemas de aprendizagem, sendo eles:

  • Capacitadores tecnológicos e ciência de dados;
  • Futuro do Trabalho e da Interação Homem-Máquina;
  • Segurança de TI, Privacidade, Estrutura Legal e Ética;
  • Inovações do modelo de negócios.

Os três grupos de trabalho restantes investigam campos específicos de aplicação para sistemas de aprendizagem e desenvolvem cenários que descrevem como a inteligência artificial pode ser desenvolvida e implantada em diferentes áreas:

  • Mobilidade e Sistemas de Transporte Inteligentes;
  • Cuidados de saúde, tecnologia médica e cuidados;
  • Ambientes hostis à vida.

O presidente da acatech, Karl-Heinz Streibich, será um dos participantes do 12° Dia da Engenharia Brasil-Alemanha. Streibich participará do Keynote Internacional ‘Taking the right steps on the Digital Journey – From Industrie 4.0 to sovereign Data Rooms’, que acontecerá no dia 20/10, às 9h30.

O Dia da Engenharia Brasil-Alemanha será realizado em formato totalmente digital e as inscrições são gratuitas. Inscreva-se em https://www.sympla.com.br/12-edicao-do-dia-da-engenharia-brasil-alemanha__943906?token=781d791f677e67c4a5b14e0e4e9693d8