4 de abril de 2017
Engenheiros podem optar entre atuação técnica ou como gestor

Um mercado de trabalho em constante mutação exige aprendizado contínuo e capacidade de se adequar às novas exigências. Neste quesito a profissão de engenheiro leva vantagem. Levantamento da conceituada Harvard Business Review aponta que dentre os 100 maiores CEOs do mundo, 24 têm graduação em engenharia.

Conheça o perfil dos melhores CEOs aqui

No Brasil, a carreira de engenheiro também aponta para uma significativa tendência para cargos de administração e gestão financeira.

A Associação Brasileira de Educação em Engenharia (Abenge) mensurou esta mudança do canteiro de obras para o escritório: de cada sete engenheiros formados, apenas dois trabalham diretamente em atividades de sua área de formação.

A familiaridade com planilhas de cálculo e com os números, a visão sistêmica e a facilidade em lidar com projetos complexos, faz com que engenheiros de formação sejam atraídos para outras áreas – menos suscetíveis às oscilações do mercado e, em especial, da construção civil.

Para um profissional de engenharia, a conclusão de um MBA tem sido uma opção. Estes cursos de pós-graduação ajudam a corrigir algumas lacunas não preenchidas pelos cursos mais tradicionais de engenharia. Assim, o engenheiro aprimora suas habilidades em comunicação, relacionamentos interpessoais e amplia sua capacidade em buscar soluções mais criativas.

A própria academia percebeu a oportunidade e alguns cursos disponibilizam a disciplina de Administração Geral dentro da grade curricular de cursos de engenharia.

Porque engenheiros são bons gestores?

Especialistas apontam algumas características de um profissional com graduação em engenharia que o tornam apto para exercer funções de gestão, seja como empreendedor seja como executivo de médias e grandes corporações.

  • Exatidão

  • Lógica

  • Raciocínio analítico

  • Autodidatismo

  • Familiaridade com números

Veja aqui mais detalhes sobre estes aspectos neste Blog

O que os engenheiros precisam saber

Aprender os fundamentos da administração e ter um aprendizado complementar em áreas como psicologia e comunicação não é exigência somente àqueles que serão gestores. A formação puramente técnica já não é mais atrativa e garantia de rápida colocação no mercado de trabalho. Seja em canteiros de obras ou à frente de grandes projetos de construção e desenvolvimento de novos produtos, o planejamento e todas as suas etapas já fazem parte do escopo de atuação de um engenheiro.

A exigência de um controle de custos cada vez mais rígido, aliada à busca incessante pelo cumprimento de prazos faz com que o engenheiro responsável pela construção de um prédio, por exemplo, saiba gerir recursos humanos, cumprir prazos e buscar qualidade. Além disso, é imprescindível ter controle financeiro para saber onde e como alocar recursos ao mesmo tempo em que controla desperdícios.

Estudos mostram que a atuação de um engenheiro civil na administração da obra pode gerar uma economia de até 25% – somente no combate ao desperdício de materiais e de mão de obra. Saiba mais sobre as possibilidades de economia com um engenheiro Aqui

Pensando capacitar engenheiros na área de gestão, no dia 19 de abril, a VDI-Brasil realizará o curso Líder Coach para que o profissional exercite sua liderança por meio das técnicas e ferramentas do Coaching, e saia do treinamento preparado para lidar com os desafios encontrados no dia-a-dia. Garanta sua vaga!

Oportunidades no mercado financeiro e nas seguradoras

A notória familiaridade com números e cálculos tem abrigado engenheiros no mercado financeiro, atraídos também pelas perspectivas de melhor remuneração. Neste aspecto são profissionais recém-formados e das áreas de engenharia civil e elétrica, ramos em que a matemática é mais exigida. Ou seja, não é a opção, por exemplo, de um engenheiro químico.

Um exemplo é o atual ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, graduado em engenharia pela Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (a famosa Poli) que já presidiu o Banco Central e é dono de uma longa carreira internacional no Bank of Boston, no qual chegou a presidente.

No entanto, no caso dos engenheiros agrônomos há a oportunidade de encontrar vaga em uma seguradora, principalmente aquelas que tenham empresas agrícolas em seu portfólio de clientes. São profissionais que avaliam plantações e se as safras podem ser seguradas, através de diagnósticos mais técnicos e abalizados, evitando riscos.

Manter-se atualizado e fazer networking são fundamentais

Fundada em 1956 em São Paulo, a VDI-Brasil – Associação de Engenheiros Brasil-Alemanha é um centro que estimula o intercâmbio e a cooperação tecnológica, principalmente entre estes dois países.

Com foco em engenheiros e futuros profissionais da área, a organização oferece cursos, seminários e palestras sobre temas técnicos e também voltados à formação gerencial e assuntos relacionados às mais novas tecnologias internacionais, especialmente alemãs e brasileiras.

Ficou interessado em saber mais sobre o futuro profissional dos engenheiros? Acesse o site da VDI-Brasil e fique por dentro das últimas novidades.