14 de setembro de 2021

A cooperação entre universidades e empresas no ensino é uma oportunidade benéfica para ambas as instituições. Por um lado, os universitários desenvolvem possíveis soluções para problemas existentes, recebendo treinamento prático, e, por outro, as empresas podem receber soluções criativas para resolver problemas ou melhorar a produtividade, além de terem contato com novos talentos. Além disso, essa cooperação oferece uma infinidade de valores agregados a todos os envolvidos.

Nesse contexto, uma pesquisa da VDMA (Associação Alemã de Fabricação de Máquinas e Instalações Industriais) mostrou, pela primeira vez, quão ampla é a gama de cooperação no ensino de engenharia. O estudo ‘Cooperações no ensino universitário‘, tratou sobre como as universidades e empresas trabalham juntas em dezesseis formas diferentes de cooperação. As formas vão desde estudos e teses em empresas até projetos integrados de pesquisa e desenvolvimento. A pesquisa também mostra que um número crescente de colaborações pode ser esperado no futuro.

Hartmut Rauen, diretor geral adjunto da VDMA, apela a uma expansão da cooperação no ensino “especialmente quando se trata de digitalização e Indústria 4.0, a parceria entre as instituições oferece novas possibilidades e grandes oportunidades. Somente pela transferência contínua de conhecimento, a formação em engenharia pode atender aos requisitos da prática e ao mesmo tempo dar sua importante contribuição para a inovação”, afirmou.

O estudo, do qual participaram 82 reitorias, mostrou que tanto os programas de graduação, como os alunos e empresas se beneficiam da cooperação. Os problemas da prática são um grande fator motivador para os alunos e permitem refletir sobre a teoria na prática. Além disso, os professores recebem feedback direto sobre as necessidades da indústria e a oportunidade de fazer contatos. Para as empresas, as instituições de ensino são um importante canal de recrutamento, uma oportunidade de vincular os alunos à empresa em um estágio inicial.

Fortalecer a participação de pequenas e médias empresas

Segundo as universidades que participaram da pesquisa, as pequenas e médias empresas (PME ‘s) já estão presentes em todas as formas de cooperação, porém a maioria delas (70%) limitam-se às principais formas de cooperação, segundo o documento, sendo elas: projetos e teses realizados na empresa, estágios e experiências práticas, visitas técnicas e atribuições de ensino por representantes de empresas nas universidades. Em outras formas de cooperação a participação de PME ‘s é de 30%, portanto, pode-se dizer que há espaço para melhora.

Projeto Challenge

Sabendo o potencial dessa parceria, a VDI-Brasil criou o Projeto Challenge, trata-se de um programa focado na capacitação do engenheiro por meio de desafios técnicos que serão resolvidos por meio de ideias e soluções ágeis, inovadoras, criativas e que contem com experimentações físicas ou digitais.  A plataforma permite a conexão destas instituições para que possam solucionar seus problemas de forma ágil e colaborativa.

No Projeto Challenge o principal benefício para a universidade é alavancar o aprendizado dos futuros engenheiros com situações reais em parceria com as instituições. Já para as empresas, esse benefício está em criar um ambiente inovador com possibilidade de ideias inéditas para solução de problemas e desafios próprios.

Para saber mais informações sobre o projeto clique aqui.