9 de fevereiro de 2021

A pandemia causada pela COVID-19 acelerou a adoção de muitas tecnologias. Houve um grande aumento na variedade de serviços e plataformas criadas ou modificadas para suprir as necessidades em meio à pandemia. Para empresas que buscam priorizar recursos, compreender as tendências e padrões mais importantes na resposta tecnológica à COVID-19 é indispensável. Novas necessidades levaram a uma colcha de retalhos de soluções que pode trazer uma série de desafios em armazenamento de dados, privacidade e implementação, como aponta uma pesquisa elaborada pelo Boston Consulting Group.

À medida em que as empresas procuram enfrentar a próxima fase da pandemia, as tecnologias desempenharão novos papéis. Na análise realizada pelo Boston Consulting Group foram identificados três tipos de tecnologias, nas quais as empresas devem se concentrar se desejarem seguir uma estratégia comercial bem-sucedida, além de ajudar o mundo a vencer a pandemia.

Para chegar a essas três áreas prioritárias foi utilizada a Inteligência Artificial contextual, uma forma de dados de inteligência artificial dentro do contexto de um caso de uso específico, adaptando-se às entradas do usuário. Foram analisados mais de 2,5 mil artigos de notícias publicados entre janeiro e maio de 2020 que avaliaram os  tópicos relacionados à COVID-19 e à tecnologia mais prevalentes.

Também foi realizada uma análise de sentimento sobre esses tópicos, medindo o sentimento circundante e analisando a linguagem usada pelo autor de cada artigo. De acordo com o Netbase Quid, uma plataforma de inteligência de mercado, os processadores de linguagem natural analisam não apenas as palavras usadas, mas também gíria, sarcasmo, expressões, dialetos e emojis nos artigos para contextualizar adequadamente as emoções pretendidas por trás das palavras e frases usadas. Os artigos podem, então, ser comparados pela direção e intensidade do sentimento.

Os artigos dividiam-se em áreas temáticas primárias, como vídeo, trabalho remoto, rastreamento de contatos, e soluções de telemedicina. Essas áreas, por sua vez, agruparam-se em torno de um conjunto de seis categorias mais amplas: gerenciamento de informações, resiliência econômica, detecção e contenção, capacitação do provedor, coesão social e aceleração do tratamento. As categorias foram altamente interconectadas e os dados são visualizados como uma nuvem. Como apresentado na imagem abaixo, os aglomerados densos representam artigos muito semelhantes, com os fios desfiados entre eles, representando conexões.

Após a análise, emergiram três temas principais que abrangeram várias categorias dentro desse conjunto. Eles nos ajudam a compreender a massa de informações sobre a vida durante a pandemia, identificar as áreas tecnológicas que realmente importam, estabelecer conexões entre elas e entender como as pessoas se sentem a respeito delas. Essas áreas principais pretendem  impulsionar a inovação para promover a resiliência econômica em um mundo virtual; rastrear e prevenir a propagação global de doenças; e fomentar a conexão humana na ausência de interações face a face.

Impulsionando a inovação para promover resiliência econômica

A COVID-19 gerou uma rápida digitalização e automação em quase todos os setores. Cada um deles está fortemente ligado em sua capacidade de gerar soluções criativas e rápidas para as dificuldades criadas pela mudança de paradigma para um mundo online prioritário.

As inovações nos recursos das plataformas de comércio eletrônico, que já existiam antes da pandemia, permitiram que as empresas que tinham presença online limitada criassem, rapidamente, lojas online de produtos ​​em questão de semanas.

Os clientes se adaptaram à mudança para o comércio eletrônico rapidamente. Nos primeiros meses da pandemia, o número de compras online triplicou. De acordo com dados do BCG, a maioria desses clientes compraram online pela primeira vez. Cerca de um terço indicou que faria compras online mesmo após o fim da pandemia. Além disso, as compras online aumentaram 39% durante a pandemia, de acordo com um estudo de comércio eletrônico do BCG B2C. Esses aumentos podem continuar no futuro, pois 79% dos clientes indicaram que planejam fazer compras online com a mesma ou  maior frequência.

As ferramentas de trabalho remoto permitiram que muitas empresas continuassem a funcionar, garantindo que as economias não parassem totalmente. A plataforma Zoom alcançou um recorde de 200 milhões de participantes diários em abril de 2020 (um aumento de 20 vezes em relação a dezembro de 2019) graças às pessoas que adotaram reuniões virtuais, palestras e conferências como parte de sua rotina de trabalho remoto. De acordo com uma pesquisa recente do Gallup, 59% dos trabalhadores disseram que prefeririam trabalhar remotamente, tanto quanto possível, mesmo após o fim da pandemia.

No entanto, essa mudança para uma economia digital aumentou a preocupação com a segurança cibernética. À medida que mais dados são trocados digitalmente, as oportunidades para ataques cibernéticos aumentam. Proteger informações é uma parte crítica de um modelo digital sustentável que, de outra forma, perderá rapidamente a confiança de consumidores e produtores. Os ataques à segurança continuam aumentando, ameaçando a viabilidade de uma economia digital. É necessário mais esforço para proteger as transações de informações online.

Rastreamento e prevenção da propagação global de doenças

Gerenciar, coletar e analisar dados abrangentes para permitir o rastreamento em tempo real, ao mesmo tempo que integra soluções tecnológicas com proteções robustas de segurança cibernética é fundamental.

Muitos países desenvolveram aplicativos móveis opt-in para facilitar o processo de rastreamento de contratos, enquanto se comprometem a proteger a privacidade dos usuários. Alguns aplicativos acumulam milhões de downloads, mas a adoção mais ampla desses aplicativos em grande parte estagnou, muitas vezes devido à maneira como eles ficaram aquém de abordar questões de privacidade e eficácia.

Para uma adoção mais ampla, os aplicativos precisam melhorar a questão da privacidade do usuário, trabalhando em pontos como, coleta ou utilização de dados de geolocalização e armazenamento de registros de uma forma criptografada. Tentativas futuras de coletar dados de rastreamento devem reconhecer a necessidade de privacidade total e desenvolver um pacote completo de cibersegurança para que as pessoas se sintam confortáveis ​​em compartilhar dados pessoais.

À medida em que as economias reabrem, a necessidade de detecção, contenção e rastreamento de infecções está se tornando responsabilidade da esfera privada. Os funcionários esperam garantias de segurança antes de retornar ao trabalho. Isso pode ser alcançado por meio de inovações técnicas, como soluções de retorno ao trabalho. Conforme mais dessas soluções são desenvolvidas, mais se faz necessário um meio de compartilhar dados individuais com segurança entre empregadores e nações.

Promover a conexão humana em um mundo cada vez mais virtual

Para muitas pessoas que trabalham e aprendem remotamente, apesar dos benefícios de passar mais tempo com familiares ou colegas de quarto, a conexão humana fez muita falta.

As tendências de atendimento ao cliente revelam uma necessidade forte e contínua de conexão humana. De maneira geral, as empresas têm se afastado dos representantes humanos de atendimento ao cliente em favor do uso de bate-papos automatizados e respostas ou opções programadas. No entanto, desde o início da COVID, o número de chamadas para agentes ativos disparou. De acordo com uma pesquisa publicada em maio, 38% dos clientes indicaram que ter a capacidade de falar com um agente ao vivo era um fator decisivo para uma experiência de atendimento ao cliente bem-sucedida.

Pessoas ansiosas para voltar a se engajar em atividades sociais levaram ao ressurgimento de casos em todo o mundo. São necessárias novas medidas para manter as pessoas felizes em casa ou a propagação da infecção pode acelerar.

Entre cada uma dessas soluções de tecnologia, há uma interconectividade fascinante das seis categorias principais de tópicos COVID / Tech. As empresas que podem abordar as principais preocupações, bem como seus tópicos relacionados, a fim de formar uma solução abrangente, colherão benefícios de bem-estar público e comerciais. À medida que continuamos a explorar como a indústria de tecnologia pode fornecer soluções para nossos problemas globais de pandemia, as percepções de especialistas podem nos ajudar a destilar os principais temas de uma complexa rede de atividades.

 

Se você se interessou por esse tema, leia também o artigo que fizemos sobre ‘Qual o impacto da Indústria 4.0 para o mercado brasileiro,’ que está disponível em nossa biblioteca de artigos exclusivos.

 

Gostou desse texto? Assine nossa Newsletter e receba nossos artigos.