13 de outubro de 2021

O avanço tecnológico na internet tem sido uma transformação constante na atualidade. Amais recente novidade é a telefonia móvel de quinta geração, o 5G. A promessa é de uma conexão de altíssima velocidade, mais tecnologia e modernidade na hora de se comunicar. Assim como o 3G revolucionou a forma como utilizamos a internet em dispositivos móveis o 5G está se consolidando e possui um grande potencial também para Internet das Coisas (IoT). Em outros países o seu uso já está avançado mas no Brasil ainda há um caminho pela frente.

O sinal do 5G é transmitido por cabos de fibra óptica e por antenas que emitem sinais de rádio e promete ser 100 vezes mais veloz do que o 4G. Com isso, a nova tecnologia permitirá a conexão de dispositivos e equipamentos como eletrodomésticos e carros à internet, ampliando a automação em diversos setores, como a indústria e até o atendimento médico.

No Brasil já existem modelos de smartphone que são compatíveis com a nova geração de rede e algumas operadoras já estão oferecendo o serviço para os seus clientes. No entanto, vale ressaltar que o 5G só estará disponível no Brasil após a realização do leilão promovido pela Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações). A tecnologia ofertada pelas operadoras é chamada de 5G DSS e permite a utilização da rede com a mesma capacidadejá adotada por outras tecnologias, como 4G, assim aumentando a velocidade da conexão.

Leilão de 5G

O leilão do 5G é a porta de entrada para a implantação dessa tecnologia no Brasil. No evento, operadoras de todo o país poderão fazer lances para arrematar as faixas de frequência disponibilizadas para a tecnologia e, assim, iniciar de fato o desenvolvimento da nova geração de internet móvel por aqui.

No Brasil, a previsão inicial era que o leilão aconteceria em 2020 mas, por conta da pandemia de Covid-19, a compra das faixas teve que ser adiada. Em fevereiro de 2021, a Anatel estabeleceu as regras para o lançamento da tecnologia no país, com a previsão de que o evento ocorresse ainda no primeiro semestre deste ano.

Agora, o evento parece finalmente estar próximo de acontecer. Depois de passar pela aprovação do TCU (Tribunal de Contas da União), em agosto, o edital retornou à Anatel para os ajustes finais, na expectativa de que a licitação ocorra nos próximos meses.

O leilão do 5G é considerado não arrecadatório, ou seja, a maior parte dos recursos levantados não irão para os cofres públicos. A ideia é que a verba seja usada para desenvolver a tecnologia, aprimorar a infraestrutura e levar a conectividade a áreas sem conexão, como pequenas cidades e estradas. As companhias vencedoras do leilão poderão usar as faixas mediante o cumprimento de algumas obrigações. Uma delas, determina que as empresas invistam na instalação de redes 4G em todas as cidades com mais de 600 habitantes e levem a nova rede móvel para 48 mil quilômetros de estradas e rodovias do país. Há também exigências específicas para a cobiçada frequência de 3,5 GHz. Quem levar esta faixa terá que investir numa rede privativa de comunicação para o governo federal, com altos níveis de segurança, criptografia e confiabilidade.

Expectativas para a implementação da rede 5GA Vivo e a Nokia seguem os preparativos para a implantação da rede 5G no Brasil com o início de mais um teste, desta vez no Rio de Janeiro, para observar quais serviços poderão ser desenvolvidos com a nova infraestrutura.

O trial, instalado mediante licença específica da Anatel, está em andamento no laboratório da Vivo na Barra da Tijuca e em dois sites localizados na Barra e Recreio dos Bandeirantes, que permitirá que sejam testadas as conexões em mmWave (ondas milimétricas) na frequência de 26GHz, e suas possíveis futuras aplicações, como, por exemplo, o FWA (Fixed WirelessAcess), conexão fixa sem cabos.

As ondas milimétricas permitem a troca de maior capacidade de dados, sendo essenciais para o desempenho extremo do 5G, de conexões de até 10 Gbps. Mais ainda, habilitam casos de uso em áreas como automação industrial, saúde, sistemas de transporte e realidade virtual.

5G Smart Campus Facens

As empresas Ericsson, Embratel e Claro inauguraram o maior campus no estado de SP, batizado de 5G Smart Campus Facens, com cobertura 5G em 3,5 GHz. A proposta do 5GSmart Campus Facens é tornar a mais avançada, segura e inovadora rede 5G acessível para a comunidade acadêmica e empresarial, permitindo que os negócios se remodelem rapidamente para prosperarem em uma nova realidade, a sociedade conectada 5G.

Além da demonstração no setor agro, foram apresentadas aplicações do 5G em outros três diferentes setores–industrial, acadêmico e automotivo. Já no âmbito acadêmico, o Centro Universitário desenvolveu um laboratório virtual em que o aluno pode realizar aulas práticas utilizando os mesmos equipamentos encontrados em um laboratório real.

Diante de todas essas informações expostas é possível esperar positivamente por um breve futuro tecnológico nas telecomunicações do Brasil com a distribuição do 5G. São grandes as promessas que essa transformação digital promete oferecer para o país. Por isso, é necessário que o setor industrial esteja preparado para a recepção dessa nova tecnologia, que será capaz de impulsionar a transformação digital do país, não somente das telecomunicações e cidades, mas de toda a indústria que queira usufruir