25 de maio de 2018

Quando se fala em intercâmbio, nem sempre lembramos que essa prática pode ser, também, muito bem-vinda para a carreira de profissionais que já estão há algum tempo no mercado. Fazer intercâmbio ainda é visto como algo exclusivo de pessoas mais jovens ou ainda estudantes, mas não, o intercâmbio profissional ajuda a formar colaboradores – de qualquer idade – mais criativos, mais motivados e que pensam “fora da caixa”.

Há diversas formas de se fazer um intercâmbio profissional, uma delas é buscar um programa dentro da própria empresa, a outra é procurar agências que te ajudarão a encontrar um emprego na sua área em outro país ou que te encaminharão para cursos por meio dos quais você pode conseguir um estágio ou um emprego na área que deseja.

Mesmo em áreas como a engenharia, na qual o conhecimento técnico representa boa parte do trabalho, é necessária uma formação que vá além. Por isso, a troca de conhecimento, a vivência cultural em outros lugares é tão importante. Profissionais com este tipo de experiência podem ser peça-chave, por exemplo, na elaboração de um plano de expansão da empresa em que atuam para outros mercados.

Não basta ter conhecimento só de engenharia, é necessário ampliar os horizontes e reconhecer oportunidades e necessidades para se destacar. Para mostrar as vantagens do intercâmbio profissional, selecionamos 6 motivos para os engenheiros investirem nessa experiência que poderá mudar sua vida profissional.

Melhora do currículo:

Hoje em dia, a vivência no exterior conta muito para as empresas. O mercado de trabalho está cada vez mais competitivo e um talento precisa ir muito além do conhecimento técnico, como já abordamos na nossa série “Papo de Engenheiro” com o Gerente de Inovação e Tecnologia do SENAI Nacional, Fábio Pires. Confira o vídeo com a entrevista completa sobre as mudanças na formação dos engenheiros e as exigências para os novos profissionais.

Novos aprendizados:

Para as empresas, todo esse conhecimento adquirido é extremamente importante, pois elas terão profissionais mais globais, com novas ideias que podem ser aplicadas no Brasil. Todo programa tem uma contrapartida, e o desenvolvimento de projetos baseados na troca de conhecimentos é uma delas. Para o colaborador, trata-se de uma experiência que o ajudará ao longo de toda a vida.

Networking:

A vivência no exterior ajuda e muito a ampliar a sua rede de contatos. É importante estar aberto e disposto a conhecer pessoas de todos os lugares, todas as etnias e culturas. Esse tipo de networking pode abrir portas para o desenvolvimento de projetos futuros e até mesmo para oportunidades de trabalho em outras empresas e países.

Possibilidade de ascensão profissional:

Não é regra que todos que fazem intercâmbio voltem e sejam promovidos, mas este é um passo importante nesta direção, ainda mais se você desenvolveu projetos importantes no exterior e demonstra interesse em aplicar os conhecimentos adquiridos na sua área no Brasil. Alguns colaboradores conseguem, ainda, uma promoção no exterior e têm a chance de ficar por lá.

Oportunidade de atuar em outra área:

Durante o intercâmbio, também é possível que algumas empresas ofereçam a oportunidade de o colaborador atuar em alguma outra área. Muitas vezes, é a chance que o engenheiro tem de fazer uma imersão em uma área na qual sempre quis, mas que não teria a oportunidade estando no Brasil ou que, por aqui, ainda não é tão desenvolvida como em outros lugares.

Chance de desenvolver projetos:

Já falamos que, muitas vezes, o engenheiro pode e deve desenvolver projetos para a empresa como contrapartida. Esta é uma grande vantagem, pois, nem sempre, o ecossistema brasileiro permite que o engenheiro inove da forma como gostaria. Então, ele acaba por não desenvolver esses projetos. Um novo país, com outros costumes, além de mais recursos e incentivo à inovação e tecnologia, pode ser o empurrão que falta para tirar boas ideias do papel.

Gostou do nosso conteúdo? Participe do Cluster Produtividade Industrial para saber como empresas e engenheiros estão trabalhando para impulsionar os resultados na engenharia por meio de boas práticas.