Plataforma servirá para desenvolver e discutir conceitos para a eliminação da química nos gases do efeito estufa até 2050

A indústria químico-farmacêutica de processos na Alemanha está caminhando a um ritmo acelerado rumo à neutralidade dos gases de efeito estufa. Empresas do setor como a Lanxess, associada à VDI Brasil, já anunciaram metas concretas rumo à operação de zero emissões.

Neste cenário, a VDI, na Alemanha, e a Associação da Indústria Química (VCI) estão trabalhando em conjunto para criar a plataforma “Chemistry4Climate”, que será operada por ambas as organizações. O Boston Consulting Group (BCG) apoia o projeto.

A plataforma, juntamente com um amplo grupo de especialistas, servirá para discutir propostas e desenvolver conceitos concretos sobre como a química e partes de sua cadeia de valor podem se tornar neutras nos gases de efeito estufa até 2050.

Como uma das principais indústrias da Alemanha, a química enfrenta, portanto, o desafio de elaborar soluções com parceiros de diferentes áreas para alcançar objetivos nacionais e internacionais de proteção climática. A VCI e a VDI assumem que essas abordagens também serão importantes para alcançar a neutralidade de CO² em outros ramos da indústria.

A VCI analisou detalhadamente os requisitos processuais para a produção neutra de gases de efeito estufa na indústria química na Alemanha, em um estudo altamente detalhado no início de outubro do ano passado (2019). Mas isso é apenas parte do problema a ser resolvido.

O gerente geral da VCI, Wolfgang Große Entrup, comentou sobre o objetivo da plataforma. “Tecnologicamente, temos uma perspectiva clara para nossa indústria, mas não podemos avançar sozinhos. É possível, por exemplo, aumentar a capacidade de energias renováveis ​​e, ao mesmo tempo, garantir o fornecimento de eletricidade às empresas a um preço acessível; é uma questão política, econômica e social aberta. Na plataforma ‘Chemistry4Climate’ queremos desenvolver soluções suportadas por um amplo consenso”.

O diretor da VDI, Ralph Appel, disse que é importante reunir todas as competências necessárias para atingir a meta de neutralidade dos gases de efeito estufa. “Para isso, criaremos uma ampla plataforma para obter todas as perspectivas sobre os desafios futuros. Deve ficar claro para os envolvidos que todos devem contribuir para alcançar essa meta. Estes desafios precisam ser identificados e tratados em conjunto”.

Para garantir isso, especialistas das áreas de química, gestão de energia e engenharia mecânica, ministérios federais relevantes, várias associações ambientais e organizações de consumidores são convidados para o diálogo.

No mencionado estudo, a associação já apontou que a transformação da indústria química é tecnologicamente possível até 2050. A produção neutra de gases de efeito estufa só pode ser alcançada com enormes quantidades de energia verde a preços competitivos internacionalmente para a eletrificação dos processos de produção.